Resenha em Contexto: Os Segredos de Colin Bridgerton por Julia Quinn (Bridgertons #4)

Os Segredos De Colin Bridgerton

(Bridgertons # 4)


"Colin decidiu lá então que a mente feminina era um orgão estranho e incompreensível - um que nenhum homem nem deveria tentar entender. Não havia uma mulher viva que poderia ir do ponto A ao B sem parar no C, D, X, e 12 no caminho" Tradução Livre







Comentários extras: Originalmente foi publicado nos EUA em 2002, a tradução livre do título original seria algo como "Cortejando Sr. Bridgerton".Penelope é a heroína mais amada pelos leitores da série. Não aconselho ser lido fora de ordem.


Surpreendente!

Esperava conhecer o Colin um pouco melhor, mas ele me surpreendeu. Foi um herói bem trabalhado nos livros anteriores, mas neste livro se revela como engraçado, charmoso mas também teimoso e cabeça dura! Me apaixonei pela Penélope, uma personagem forte que roubou a cena e foi sem dúvida a grande estrela do livro.

Adoro romances de amigos que viram namorados, mas nesse caso o sentimento não era recíproco, então foi um twist gostoso de ler. Não fazia idéia de como a autora conseguiria fazer os dois ficarem juntos, e gostei muito do que ela fez.




Frases Favoritas!

"She'd met Colin on a Monday. She'd kissed him on a Friday. Twelve years later. She sighed. It seemed fairly pathetic." 

"She had been born for this man, and she had spent so many years trying to accept the fact that he had been born for someone else..."  

"He murmured her name, tenderly taking her face in his hands. “I love you,” he said, his voice low and fervent. “I love you with everything I am, everything I’ve been, and everything I hope to be.” “I love you with my past, and I love you for my future.” He bent forward and kissed her, once, softly, on the lips. “I love you for the children we’ll have and for the years we’ll have together. I love you for every one of my smiles, and even more, for every one of your smiles." 
"Colin decided then and there that the female mind was a strange and incomprehensible organ - one which no man should even attempt to understand. There wasn't a woman alive who could go from point A to B without stopping at C, D, X, and 12 along the way." 










Prêmios





* Quatro semanas na lista de mais vendidos da The New York Times (chegando a #9)!


*Quatro semanas na lista da Publishers Weekly Mass Market de mais vendidos (chegando a #4)

* Seis semanas na lista de mais vendidos da USA Today (duas delas no top 10!).

*#6 na lista de romances mais vendidos em 2002 e escolhido como um dos 10 melhores romances na Amazon.com.

*Finalista no prêmio RITA de 2003. Na lista Top 10 livros favoritos do ano na enquete da RWA (Escritores de Romance da América).



Trilha Sonora:

Tradução Livre - Comentários por Julia Quinn



Contém Spoilers


"Heavy Things" by Phish   - Quando escuto a letra "When I tried/to step aside/I moved to where they hoped I'd be" (Quando tentei/ficar de lado/ Me movi pra onde esperavam que eu estivesse), me faz pensar na Penelope. E também no Colin. Ambos estavam tentanto cravar seu lugar no mundo e encontravam um ao outro pigeonholed pela sociedade. Além disso, Acho que se Colin fosse um cara moderno, ele seria um Deadhead (e assim um fã da Phish)
"Legend of a Cowgirl"  Imani Coppola  - Amo essa música! Ela grita Girl Power pra mim. Posso ver uma Penelope dos dias de hoje cantanto bem alto se ela achasse que não teria ninguém em casa.  
"Virginia Woolf" Indigo Girls - Uma música maravilhosa sobre o poder de uma caneta, especialmente nas mãos de uma mulher. 
"Babylon" David Gray - Escutava tanto essa música enquanto excrevia esse livro. Estávamos em Londres quando meu marido estava na escola de medicina, e só tinhamos trazido 10 CDs com a gente. White Ladder foi um deles, e incrivelmente, nunca me cansei dele.









Comentários da Julia Quinn 

Tradução Livre 



Contém Spoilers



Achou algum dos meus personagens "antigos" mencionados? Pode achar nas colunas da Lady Whistledown: Ned Blydon, Visconde Burwick (um personagem secundário nos meus primeiros três livros e o protagonista em um futuro conto); sua irmá, Belle (protagonista em Dancing At Midnight, agora Lady Blackwood); Lord and Lady Riverdale (protagonistas em How To Marry A Marquis), Lucas e Jane Hotchkiss (também de How To Marry A Marquis). Sem falar no Robert de Everything And The Moon anfitrião do baile de Macclesfield - uma cena muito fundamental. E quem poderia esquecer da Lady Danbury, que fez sua estréia em How To Marry A Marquis e desde então aparecee em todos os livros dos Bridgerton. Ela é tão divertida que decidi dar a ela um papel secundário dessa vez.

O título de trabalho para esse livro foi MR. BRIDGERTON, I PRESUME (Sr. Bridgerton, Eu Presumo).

Um dos meus trabalhos na faculdade foi como escritora de viagens no LET'S GO: GREECE & TURKEY (Vamos lá: Grécia e Turquia). Passei sete semanas em Creta, Chipre, e algumas outras ilhas. Usei minhas memórias de Cyprus para s escritos de Colin. Sua descrição da Escócia também são minhas, da visita que fiz em 2001.

 Lady Whistledown, a colunista de fofoca "narra" sua própria antologia em The Further Observations Of Lady Whistledown. Esse livro, entretanto, não é parte da série.


  • Julia Quinn Responde: Em "Os Segredos de Colin Bridgerton, você agradece Lisa Kleypas e Stephanie Laurens pelo uso de seus personagens. Quais foram? 
    Pensei que seria divertido fazem uma pequena homenagem aos meus amigos e colegas, então no primeiro capítulo Penelope está lendo um livro chamado Mathilda por S.R. Fielding. Esse livro teve um papel grande em Dreaming Of You da Lisa Kleypas (S.R. na verdade é Sara, a heroína). E na coluna da Lady Whistledown no capítulo nove, eu faço uma menção a Michael Anstruther-Wetherby, que é o irmão da Honoria Anstruther-Wetherby, heroina em Devil's Bride, o primeiro livro na série dos Cynsters da Stephanie Laurens.

    No segundo epílogo de Os Segredos de Colin Bridgerton:

    Parem as impressoras: Eloise finalmente aprende a verdade! Não podemos falar mais sem dar um grande spoiler, mas acontece que:
    1. Collin é um pouco intrometido,
    2. Hyacinth é ainda mais intrometida, e:
    3. a única vez em que todos os Bridgertons pararam de falar de uma só vez é quando Penelope tem algo muito embaraçoso a dizer. 

    Ei, nunca dissemos que seria fácil casar com um Bridgerton, só que seria divertido...


    Leia esse e todos os segundos epílogos em  E Viveram Felizes Para Sempre.


Capas:

Capa no Reino Unido

Capa Original

Romancing Mister Bridgerton (Bridgertons, #4)
Capa Atualizada

Nova Capa


Material de autoria da Julia Quinn foi retirado do site oficial. Post atualizado e traduzido do blog Reading Romances, ambos de minha autoria.  

RESENHA DO PRÓXIMO LIVRO DA SÉRIE -  

Já leu o livro? O que achou? Escreva nos comentários!
SalvarSalvar

Comentários

Postagens mais visitadas deste blog

Resenha:The day of the duchess (Escândalos e Canalhas #3) por Sarah MacLean

Resenha: Uma noite como esta (Quarteto Smythe-Smith #2) por Julia Quinn

Resenha: Quando a Bela Domou a Fera (Contos de Fada #1) por Eloisa James